O nome “Antioquia”

     ABC logo limpo O nome oficial é Antioquia Baptist Church, mas pode nos chamar apenas de Antioquia. Há os que se referem a nós por ABC (Antioquia Baptist Church) ou IBA (Igreja Batista Antioquia). Fique à vontade. Somos uma igreja formada por brasileiros, nascida oficialmente em março de 2010. Como igreja, cumprimos os termos estabelecidos pela legislação dos Estados Unidos da América. Somos afiliados à Florida Baptist Convention (convenção estadual) e  Royal Palm Baptist Association (associação local). Como típico de uma igreja batista, adotamos a prática da autonomia da igreja local, mas acreditamos e vivenciamos o trabalho em parceria. “Juntos, podemos mais” é o slogan adotado para o ministério de missões. Entendemos a importância e necessidade de prestarmos contas de nossas atividades à quem de direito, inclusive da parte financeira. Por isso, reportamos a igreja local, enviamos relatórios periódicos e nos relacionamos com a estrutura administrativa da Convenção Batista da Florida.

 Banner da Assoc. batista da Flórida

Escolha do nome

Antioquia Contorno do MapaHá uma razão para a escolha do nome “Antioquia”. Para compreender melhor, vamos tomar por base o texto de Atos 11.1 – 26. No texto aparece o nome da cidade Antioquia, que não deve ser confundida com a Antioquia da Pisídia (At 13.14). Estamos falando sobre a Antioquia da Síria. Ela ficava às margens do Rio Orontes, cerca de 480 quilômetros ao norte de Jerusalém. Essa cidade foi fundada por Seleuco I Nicator, em 300 a.C. Antioquia tornou-se a capital da dinastia dos selêucidas, cujo nome vem de Antíoco I, pai de Selêuco, o qual era general de Alexandre, o Grande. O porto marítmo ficava na cidade de Selêucia, distante 25 quilômetros de Antioquia (At 13.4).   

Antioquia era capital da província romana da Síria, e a terceira maior cidade do império, um grande centro comercial, sendo então uma cidade importante. Passou a ser a capital da província romana da Síria, em 64 a.C., quando Pompeu a conquistou. A população de Antioquia foi estimada em cerca de 500 mil pessoas, vindos de diversas partes do mundo. Havia também muitos judeus. Localizava-se na divisa entre os dois mundos culturais da época – o grego e o semita. Devido a tribulação que sobreveio a Estevão, um dos líderes da multidão dos que creram na cidade de Jerusalém, os seguidores de Jesus se espalharam até a Fenícia, Chipre e Antioquia (At 11.19).  De todas essas regiões, Antioquia sobressaiu-se, tornando-se no mais importante centro missionário do primeiro século. Durante os primeiros séculos do cristianismo ela esteve entre os cinco maiores centros cristãos da história: Antioquia, Jerusalém, Alexandria, Constantinopla e Roma. A Igreja de Antioquia (Atos 11) Sabemos que os fundadores da igreja de Antioquia eram de Chipre e de Cirene: “Os quais, entrando em Antioquia, falaram aos gregos, anunciando o Senhor Jesus” (At 11.20). Mas não temos seus nomes. São ilustres desconhecidos. Até então, o evangelho era pregado só aos judeus (11.19). Talvez a experiência de Pedro na casa de Cornélio (que não era judeu) tivesse chegado ao conhecimento deles, e começaram a pregar também aos gentios. Esses judeus tinham a vantagem de falar o grego fluentemente. Por isso, foram ouvidos. Os gregos de Antioquia creram no Senhor Jesus e o número deles crescia a cada dia (11.21).  

Assim nasceu a igreja dos gentios. A ordem profética dada por Jesus “até aos confins da terra” caminhava rapidamente para o seu cumprimento (At 1.8). As notícias foram recebidas com alegria pela igreja de Jerusalém. Então, enviaram a Barnabé que era de Chipre (At 4.36) para ensinar aos gentios de Antioquia (At 11.26). Barnabé entendeu muito cedo o caráter universal do evangelho de Jesus. Barnabé e Saulo foram os primeiros pastores de Antioquia, e no exercício de seu ministério, ultrapassaram as barreiras culturais. O cristianismo é transcultural; ou seja, vai além da barreira cultural. De fato, a igreja de Jerusalém havia enviado o homem certo para Antioquia. Por ser cipriota, talvez Barnabé tivesse mais jeito de lidar com os gentios (At 11.22). Barnabé foi o primeiro líder que entendeu esta nova realidade quanto aos gentios (os que não eram judeus). Vendo que os costumes dos gentios eram muito diferentes das tradições judaicas, e que aqueles irmãos gentios estavam alegres, e eram fervorosos no espírito, mas provenientes de outra cultura, lembrou-se Barnabé de um homem chamado Saulo (ex-perseguidor de cristãos, agora já convertido pelo Senhor), pois sabia que o Senhor Jesus o havia chamado para pregar e ensinar aos gentios. Saulo era de Tarso, grande centro cultural da época, e conhecia a cultura grega. Ninguém melhor do que Saulo para ensinar a esses novos “cristãos” de costumes estranhos. Barnabé não hesitou em buscá-lo na cidade de Tarso para essa nobre tarefa (At 11.25). 

A igreja em Antioquia conquistou essa importância na história do cristianismo, graças a estrutura bem organizada por Barnabé e Saulo, e obviamente, pela direção do Espírito Santo. A cidade de Antioquia era o local para onde o apóstolo Paulo retornava de suas viagens missionárias. Servia como uma espécie de bálsamo espiritual, após todas as batalhas no campo missionário. Pedro também esteve em Antioquia, assim como outros líderes da igreja de Jerusalém.

Antioquia e a palavra “cristão”.

A palavra “cristão” ocorre somente três vezes no Novo Testamento (At 11.26; 26.28; 1 Pe 4.6). Originalmente, designava um servo seguidor de Cristo. Alguns estudiosos explicam a tradução de “cristão em um sentido mais literal significando “pequenos cristos”; ou seja, há uma profunda identificação quanto ao estilo de vida entre o Senhor Jesus e seus seguidores, a ponto de um ser identificado como o outro. A partir daí o cristianismo saiu dos círculos judaicos para ser pregado a todos os povos, conforme determinação anterior do Senhor Jesus (Mt 28.19,20; Mc 16.15).

Antioquia de Fort Myers, Florida. 

Nossa igreja, constituída na sua maioria de brasileiros, é formada por pessoas de diversas regiões do Brasil, com suas peculiaridades. Também nos é comum termos a convivencia com pessoas que não falam o português como seu primeiro idioma. Aqui nos EUA as culturas se encontram e se misturam. Há relacionamentos de pura amizade, como também casamentos, mesclando uma cultura na outra. De qualquer maneira, tomamos por modelo a Igreja de Antioquia mencionada no livro de Atos. Assim como eles foram, desejamos ser reconhecidos como “cristãos”; viver em um local onde se pensa e se pratica missões, sempre abundantes da Palavra de Deus, nos relacionando com pessoas que exercem naturalmente seus dons e talentos. Enfim, desejamos ser bênção do Senhor a todos os povos.

Antioquia Aerea

Cidade fundada por Selêuco Nicanor que lhe deu esse nome para homenagear a Antíoco, seu pai. Localizava-se nas proximidades da foz do rio Oronte e na época do Império Romano ocupava o terceiro lugar em ordem de importância, perdendo apenas para Roma e para Alexandria, no Egito. Era a capital da Síria e foi um dos primeiros centros de difusão do Cristianismo, sendo que nela é que se tornou comum o epíteto “cristão”.

1 viag Miss Paulo Segunda Viagem de Paulo Terceira Viagem de Paulo